Strippers #12 – Qual é o Tema da História? com Felipe Cagno

Apresentado por Digo Freitas, neste programa conversamos com o Felipe Cagno, roteirista de Lost Kids, Bala Sem Nome, 321 Fast Comics, Escolhas, Os Poucos e Amaldiçoados, Classified, entre outras obras, e Rodrigo Chaves, ilustrador, cartunista e também roteirista da Maurício de Sousa Produções.

Neste podcast vamos continuar o papo sobre roteiro, agora mais focado em uma parte às vezes esquecida, mas muito importante: o tema da história. O que é, afinal, um tema de roteiro? Como escolher e aplicar? Dá para encontrar o tema depois que a história está pronta? Histórias pequenas precisam de tema? E muitas outras discussões muito pertinentes para quem quer escrever uma história, seja livro, HQ ou audiovisual.

Saiba mais ouvindo esse episódio!

Links:

Se curtiu, não curtiu ou só quer conversar, mande um comentário aí embaixo!

Ah! E compartilhem o podcast nas redes sociais, ajuda bastante.

Até a próxima!

Quer falar conosco? Mande um e-mail!

4 comments

  1. Bem maneiro o papo. Eu levei muito tempo pra entender essa parada de tema também e a maioria dos meus primeiros quadrinhos não tinham isso. Pelo menos não conscientemente. Mas com o Batsuman eu sempre tive na minha cabeça que era sobre liberdade. Claro que nem todas as tirinhas vão falar disso, mas o personagem em si é sobre isso: ele é livre. Ele não tem rosto, não tem nome verdadeiro, não tem família e tem dinheiro infinito; pode falar, fazer e ser o que ele bem entender sem se preocupar com nenhum tipo de consequência, mas ao mesmo tempo ele é incompleto e infeliz. Esse é o Batsuman pra mim, mas provavelmente só pra mim. Pra todo mundo ele é só uma sátira do Batman, quero dizer, ele É uma sátira, mas se eu tiver lido 3 histórias do Batman é muito. Conheço o personagem dos filmes e do desenho, mas o que eu escrevi não foi em cima disso. E aí desse pensamento todo vem uma coisa muito legal de se ter em mente: depois que você lança ao mundo o que você escreveu, aquilo deixa de ser seu. Não adianta querer brigar ou ensinar as pessoas sobre “qual o verdadeiro tema da sua história”. É que nem quando o Cagno falou sobre o Tungstênio “pra mim é sobre isso” e é o que importa no final das contas.

    1. Concordo! O autor tem uma intenção de tema, mas muitas vezes o que sobe à superfície é outra coisa. Ou nenhuma.

  2. Bom, vocês comentam que ainda não leram nenhuma HQ de herói, brasileira, que tivesse uma boa história/roteiro/tema. Posso citar duas: 01. As hqs de supers do Diego Gerlach e; 02. Cara-Unicórnio, do Adri A. (que acabou de entrar no catarse: catarse.me/caraunicornio). =)

    1. Fala, Xablo!
      Como te respondi no Facebook, nesse formato de sátira e paródia posso citar alguns de cabeça com facilidade, desde o Overman, Capitão Presença, etc. Difícil é achar algum que se leve a sério e tenha um roteiro bacana.
      Se souber, me avise que eu gostaria de ler.
      Abraço!

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Comentar com Facebook

Curta nossa página para receber mais atualizações!